abril 06, 2018

Serra da Freita - Aldeia de Drave

Visita a uma das "montanhas mágicas"! A serra da Freita em Arouca.
Objectivo (entre outros): conhecer a aldeia de Drave!
Fazendo parte dos percursos do geoparque, o trilho de 4 kms começa em Regoufe, aldeia que deve a sua existência à mina de volfrâmio agora desactivada.
À chegada, um belo vale para nos acolher.


Atravessando a aldeia de Regoufe...


À saída da aldeia, um ascendente acentuado em terreno pedregoso para por à prova o caminheiro.



O trilho está classificado como sendo de categoria fácil.
Pessoalmente, penso que deveriam ter em atenção que os 4 Kms dizem só respeito à ida, sendo necessário regressar pelo mesmo caminho, cujo declives vão se fazendo sentir ao longo de todo o percurso.


Após cerca de 2,5 kms, já se vislumbra a aldeia encantada.


A ponte sobre a ribeira de Palhais...


E o que se encontra?
Um pequeno núcleo de casas em ruínas perdido no meio da serra e rodeado de...silêncio!
Encantada por parecer que a civilização nunca chegou aqui.
É, hoje em dia, um centro-refúgio de escuteiros nacionais que estão a fazer um trabalho de recuperação.


Após o almoço em Arouca (uma bela posta arouquense na casa dos bifes Silva 2), decidimos ir até ao miradouro do Detrelo da Malhada que dista pouco kms da vila.


Estamos a 1.100 metros de altitude.
Em dias de boa visibilidade, a plataforma suspensa permite, com um olhar atento, avistar as elevações a norte até ao Gerês.



Por fim, passagem pela não menos conhecida Frecha da Mizarela, onde o rio Caima projecta-se a mais de 60 metros de altura. Não se ouve, mas vê-se.


Até à próxima!

abril 05, 2018

Monsanto e Penha Garcia

No regresso de Espanha, passamos a fronteira em Monfortinho, com paragem em Penha Garcia para almoçar no restaurante "O Javali".
Depois do almoço, subida ao pequeno castelo com vista para a albufeira.



De seguida, paragem em Monsanto, onde já tínhamos estados há uns bons anos atrás.
As rochas parecem não ter "envelhecido".. :-((


Outro castelo altaneiro...outra subida! Esta bem mais puxadinha!
A vista bem lá de cima...




Algumas sugestões...


Pernoitamos em Tortosendo, Covilhã.
Um local simpático, com gente simpática e um delicioso pequeno almoço.



No dia seguinte, ao regressar, passagem Loriga para ir ver as piscinas "naturais", mas...muito nevoeiro (e alguma chuva) por todo o parque natural da serra da Estrela.


Até à próxima!

fevereiro 25, 2018

Toledo #2

O rio Tejo (por estes lados, Tajo) a correr por baixo da ponte de Alcântara. Esta bonita ponte tem origens romanas, mas foi reconstruida no período medieval, servindo de porta de acesso à cidade.
Estava fortemente protegida por duas portas fortificadas em cada extremo.


Vista sobre a cidade amuralhada...



Em redor da cidade, um planalto, com campos de perder a vista, apenas cortado pelo serpentear do rio.


O claustro do Palácio Alcazar presta homenagem a Carlos V.
Este palácio fortaleza alberga o museu do exército, mas que no fundo é um museu sobre a história da cidade e da própria Espanha. Vale bem uma vista e é gratuito ao domingo.


No bairro judeu, junto ao Mosteiro de San Juan do los Reyes,...uma zona bem arborizada e muito agradável para passear.


Por toda a cidade, sinais evidentes das várias religiões e culturas que por aqui passaram....


Muita alusão a Miguel de Cervantes, aqui com direito a uma estátua na rua com o seu nome.


À saída da muralha, novamente junto à ponte de Alcântara.


A vista mais famosa de Toledo é desde o miradouro Del Valle, já no lado esquerdo do rio Tejo.
Na colina, onde se desenvolveu a cidade, destacam-se a Catedral e o Palácio Alcazar.


Na zona oeste da cidade, a ponte medieval de San Martin, por onde passa também o Tejo que acaba por contornar a cidade. Quanto ao rio, definitivamente a necessitar de uma despoluição a sério.

Até à próxima!

Toledo #1

O carnaval 2018 foi passado em Toledo, Espanha.
Grande confusão à chegada, pois decorria precisamente um cortejo carnavalesco. Ficamos impedidos de entrar no centro histórico com o carro, que acabaria por ficar na rua os 2 dias. Primeiro monumento: A Porta de Bisagra, uma espécie de arco triunfal com dois torreões. 


Cidade quase toda amuralhada. Entramos pelo casco histórico adentro, desaguando na bela Catedral.
Impossível fotografá-la de corpo inteiro. Alguns pormenores de duas fachadas.



O interior é deslumbrante. Detalhes e recortes que obrigam a uma visita demorada.


A sala capitular.


Uma sacristia simplesmente espetacular, de onde se destaca, para além dos frescos do tecto, o quadro mais famoso do pintor toledano El Greco.



O Ayuntamento... que fica mesmo ao lado da Catedral.


Circulando pelas Calles, muitas referências ao período medieval e aos templários.



...bem como a D. Quixote de La Mancha...(afinal estamos na comunidade de Castilla-La Mancha)


Do ponto de vista gastronómico, a massa-pão é o ex-libris. Está presente em todas as confeitarias da cidade, servindo de matéria-prima para quase tudo o que é doçaria.


A nossa estadia foi, digamos, pitoresca. Um apartamento a 200 metros da Catedral, inacessível de carro, num edifício recuperado do séc. X (segunda a n/ anfitriã), com vários pormenores árabes e um átrio aberto. Muito giro!


Toledo é apresentada como a cidade das três culturas: católica, muçulmana e judaica, tendo conservada até aos dias de hoje muitos detalhes de todas estas influências. Com tradição no fabrico de espadas, já foi a capital da Hispânia.
Até à próxima!

outubro 28, 2017

Las Médulas

Na mira há já alguns anos, ansiava conhecer esta paisagem transformada pelo homem há cerca de dois mil anos.
Património da Humanidade situado na província de León, norte de Espanha.
Para quem parte do Porto, e quase sempre em autoestrada, são cerca de 3 horas e meia de viagem.


Resultado de uma antiga exploração romana de ouro a céu aberto, é hoje uma paisagem espetacular de formações calcárias alaranjadas...


...que despontam entre grandes castanheiros e carvalhos.




O "truque" dos romanos consistia em escavar grandes aberturas nas rochas e, com a força da água, "furar" até descobrirem os filões de ouro no subsolo.



Provavelmente, a imagem mais conhecida: a vista desde o miradouro de Orellán..



Quem quiser, e a troco de três euros, pode visitar uma galeria com cerca de 300 metros de cumprimento...


...desaguando numa abertura com vista para o castanhal.



Para completar a nossa caminhada de 12 kms, circundamos o monte com vista para todo o vale.


Ir e vir num só dia é um pouco cansativo pelas horas de viagem. O ideal é pernoitar nas redondezas, e aproveitar para ir à descoberta do Canon del Sil, rio cujo desfiladeiro apresenta escarpas impressionantes nas proximidades.
Até à próxima!